Os jovens na pauta prioritária dos países americanos

A necessidade de uma qualificação profissional direcionada a áreas estratégicas para os países foi uma das principais conclusões do Seminário Intersetorial sobre Emprego Juvenil – Articulação entre Educação e Trabalho, encerrado nesta sexta-feira (16). A parte final do evento teve a apresentação das conclusões dos debates realizados pelos grupos de trabalho durante os dois dias do encontro e mensagens de integrantes dos ministérios do Trabalho, da Educação e das Relações Exteriores do Brasil e da Organização dos Estados Americanos (OEA) aos representantes dos 22 países que vieram a Brasília.

“Foi uma grande oportunidade para uma conversa em âmbito regional”, disse María Claudia Camacho, Chefe da Seção de Trabalho e Emprego da OEA. “Demos aqui um passo importante para compartilhar ações de cooperação voltadas à criação de políticas públicas para os jovens”, acrescentou.

Ney Canani, Chefe da Assessoria Internacional do Ministério do Trabalho, afirmou que o evento foi bastante produtivo no contexto da busca de soluções para problemas que são comuns a todos os países da região. “Este seminário intersetorial dará origem a mais cooperação”. Segundo ele, uma das marcas do evento foi a intensa participação dos representantes dos países, em uma atmosfera de informalidade e grande interação.

“Acredito muito no trabalho colaborativo”, ressaltou Higino de Britto Vieira, diretor do Departamento de Políticas de Trabalho e Emprego para a Juventude do Ministério do Trabalho. “A troca de experiências possibilita a conquista de melhores resultados em menos tempo.

Realizado na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), o seminário é promovido no âmbito da Conferência Interamericana de Ministros do Trabalho (CIMT) da OEA, o principal fórum de discussão e decisão política sobre as prioridades e ações em matéria trabalhista na América.